Search
Close this search box.

A Primeira Igreja Batista de Coari — 1932

A Primeira Igreja Batista de Coari

Nesse texto podemos observar a narração da história da Primeira Igreja Batista de Coari.

A Primeira Igreja Batista de Coari
Templo da Primeira Igreja Batista de Coari

A Primeira Igreja Batista de Coari começou a ser concebida no final da década de 20 do século XX por reuniões com intuito de preparar os grupos para fundamentar a sua criação. Contudo, ela só foi organizada efetivamente como igreja em 24 de novembro de 1932 pelos membros vindos da Igreja Batista que existia na comunidade da Boa Fé, no Rio Copeá e outros.

Um marco para o desenvolvimento da Primeira Igreja Batista de Coari foi a chegada de Codajás de seu primeiro dirigente, o Pastor Júlio Martins Braga.

Em 1945, sob organização dos membros da Primeira Igreja Batista de Coari, e na liderança do Pastor Alberico Antunes de Oliveira foi fundado o Instituto Bereano de Coari, localizado na rua Ruy Barbosa, em plena ocorrência da 2ª Guerra Mundial.

A Primeira Igreja Batista de Coari acompanha diretamente a trajetória histórica do município de Coari desde 1932 e foi a primeira Igreja Evangélica fundada no município de Coari.

O templo da Primeira Igreja Batista de Coari, tem arquitetura inspirada nos templos Batistas dos Estados Unidos. Foi construído sob a liderança do Pr Miguel Horvath e inaugurado na data de 24 de novembro de 1960. Está localizado na rua Gonçalves Ledo, n. 199, no centro da cidade de Coari.

Segundo Raimundo Parente:

A Primeira Igreja Batista de Coari é uma igreja tradicional, histórica e conservadora. É filiada à Convenção Batista Brasileira, Convenção Batista do Amazonas e Associação das Igrejas Batistas do Médio Solimões. Tem a Bíblia como única regra de fé, conduta e a Declaração Doutrinária da Convenção Batista Brasileira”.

Atualmente a Primeira Igreja Batista de Coari tem como Pastor o Pr. Jorge Marins de Lira e tem como pastores auxiliares o Pr. Cláudio Ricardo de Oliveira Lima e o Pr. Natalino Pereira de Souza Filho, todos eles nascidos em Coari. Foi recentemente criada mais 3 igrejas Batistas em Coari: Igreja Batista Água Viva, no bairro de Santa Efigênia, Igreja Batista Monte Horebe, no bairro do Urucu e Igreja Batista Príncipe da Paz, no bairro do Pera I. Existe ainda, mais três congregações na cidade, situadas nos bairros de Grande Vitória, Ciganópolis e Vila Lourenço; e na zona rural do município existem seis congregações.

Líderes históricos

O senhor Enedino Monteiro da Silva, 1º Prefeito de denominação evangélica de Coari (1973), foi enviado pela Primeira Igreja Batista de Manaus para ser evangelista aqui em nossa cidade, com sua esposa Alda Bráule Pinto Monteiro e Maria Elizabeth Silva Bastos Rodrigues, esposa do senhor Dimas Teles Rodrigues. Eles ajudaram na fundação do Bereano. Dimas Teles Rodrigues atuou na Primeira Igreja Batista de Coari por mais de 50 anos com sua esposa, sempre como diácono e presidente.

Templo da Primeira
Igreja Batista de Coari

Leia mais sobre a cultura coariense aqui:

Professor Góes – 50 anos de dedicação a Coary

História e Contextualização da Catedral de Coari

I Festa da Banana – 1989

Projetos desenvolvidos em Coari resgatam a cultura popular

Está gostando ? Então compartilha:

1 comentário em “A Primeira Igreja Batista de Coari — 1932”

  1. Pingback: A Origem da Igreja Assembleia de Deus em Coari – Cultura Coariense

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Boto
Literatura
Archipo Góes

Entre águas e sonhos: uma tragédia anunciada – Botos

Entre Águas e Sonhos acompanha a jornada de um homem marcado por perdas em busca de redenção. Ele confronta seus demônios e os perigos da floresta, em meio à beleza e brutalidade da natureza. Encontros intrigantes e eventos misteriosos tecem um suspense envolvente, conduzindo a um desenrolar cheio de reviravoltas. Segredos da floresta, natureza humana e a busca por redenção se entrelaçam neste conto que te convida a desvendar o destino de um boto.

Leia mais »
A Escola
Crônicas
Archipo Góes

A Escola

Manuella Dantas narra nostalgicamente sua jornada na escola Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. Ela destaca a mudança de uniforme, a rotina diária, as atividades recreativas e a interação com professores e alunos. A escola, repleta de memórias felizes e fundamentais para sua formação acadêmica, é retratada como uma parte importante de sua vida.

Leia mais »
Praça São Sebastião
Literatura
Archipo Góes

A Praça São Sebastião

O texto descreve a Praça São Sebastião em Coari como um local impregnado de memórias e eventos significativos para a comunidade local. Desde arraiais a marchas cívicas, procissões, gincanas e festas de carnaval, a praça foi o cenário de diversas atividades que marcaram a cultura coariense. Além disso, a presença de edifícios importantes como a Catedral, escolas e órgãos públicos ressaltam a relevância histórica do local. As lembranças nostálgicas do autor sobre a praça e seus arredores durante a década de 1980, incluindo detalhes culinários e encontros sociais, destacam a importância afetiva e cultural desse espaço na vida da comunidade.

Leia mais »
Feira
Literatura
Archipo Góes

A Feira

Texto de memórias de Manuella Dantas sobre suas lembranças de infâncias acerca da feira do produtor rural de Coari.

Leia mais »
Deolindo Dantas
História
Archipo Góes

Deolindo Dantas – 1895

Narraremos a biografia de Deolindo Dantas, um importante líder político e comercial da cidade Coari. Foi o principal opositor político de Alexandre Montoril e um personagem lendário e polêmico na história de nossa cidade.

Leia mais »
Crônica
Literatura
Archipo Góes

Crônicas de Coari – Vol. 01

Nesta página, podemos ter acesso ao Flipbook Crônicas de Coari, que disserta sobre a cotidiano da cidade de Coari e sua história.

Leia mais »
Rolar para cima
Coari

Direiros Autorais

O conteúdo do site Cultura Coariense é aberto e pode ser reproduzido, desde que o autor “ex: Archipo Góes” seja citado.