Search
Close this search box.

Amazônia na Dança das Águas – Adal Amazônico – 2015

Adal

Amazônia na Dança das Águas é uma música composta no ano de 2015, na cidade de Coari, durante a maior cheia já registrada na região amazônica. Adal ao observar o fenômeno cíclico da natureza, em que as ruas de sua cidade natal estão tomadas pelas águas e os peixes nadando pelas vias públicas do centro de Coari, se inspira para compor uma das mais belas canções de seu repertório com temática amazônida.

Adal Amazônico

Amazônia na Dança das Águas – Adal Amazônica

José Adalberto da Silva, Autor-Compositor, membro da Sociedade de Autores-Compositores e Editores de Música S.A.C.E.M Paris – França, filho de Coari onde nasceu e estudou os seus primeiros anos, esteve nas Universidades da Colômbia e Equador cursando Odontologia, arquitetura e urbanismo.

 Adal teve a oportunidade de divulgar a música popular brasileira nos países da América Latina junto a Flávio Gianinni, esteve no Novo México, nos Estados Unidos, na Guatemala e muitas cidades.

 Em 1978, com Mário Alcate, esteve na velha Europa, Nova York – Londres, e logo Touquet na França, onde se apresentaram em bares, praças, restaurantes, foi aceito em 1981 na Sociedade de Autores-Compositores e Editores de Música S.A.C.E.M París-França, e assinou contrato com a I.B music Productions, se tornando mais tarde diretor de business internacional.

 Entre suas apresentações memoráveis, estão a do festival de Jaz de Angers-França em 1984, na companhia de grandes como Hermeto Pascoal, Baden Powell, Márcia Maria, Art Blakey, Nenê, John Coltrane entre outros. Palácio do Congresso (Palais des Congrés) no salão dos espelhos em Versailles-França em 1985, com Thierry Sabine, o criador do rally París-Dakar. A noite de gala no Palace de Paris, com Gibsy Kings em 1988. E em 1985 no Teatro Amazonas em Manaus, no lançamento do seu primeiro LP com vários artistas amazonenses convidados.

 De 1994 a 1996, dirigiu a Ordem dos Músicos do Brasil OMB-AM, onde com Beto Sá Gomes, realizaram vários projetos como o Quinta Musical, Terça Musical, Rock Alternativo entre outros projetos.

Adal
Adal e Guerra

Leia mais em:

O Vinho e a Outra Face – 2013

Histórias esquecidas 01: Areal Souto

Excelsa Castanheira – 06

Coari coroou sua Miss Universo Coari 2023

Está gostando ? Então compartilha:

2 comentários em “Amazônia na Dança das Águas – Adal Amazônico – 2015”

  1. Roosevelt Almeida do Nascimento

    Parabéns ao Archipo Góes por ser mentor e criador dessa e de outras perfis com o objetivo de divulgar e mostrar o que é Coari.
    Parabenizo também ao Adal pela observação e composição “dança das aguas”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Deolindo Dantas
História
Archipo Góes

Deolindo Dantas – 1895

Archipo Góes Passamos agora a descrever a biografia de um importante líder político e comercial coariense. Foi o principal opositor político de Alexandre Montoril e

Leia mais »
Crônica
Literatura
Archipo Góes

Crônicas de Coari – Vol. 01

Nesta página, podemos ter acesso ao Flipbook Crônicas de Coari, que disserta sobre a cotidiano da cidade de Coari e sua história.

Leia mais »
Maria Higina
História
Archipo Góes

A Saga de Maria Higina em Terras Coarienses

A senhora Maria Hígina, uma mulher que estava a frente do seu tempo e viveu em Coari entre as décadas de 1960 e 1970. Foi prefeita do Trocaris, poetisa, cronista do Jornal do Comércio e seringalista.

Leia mais »
vinho
Literatura
Archipo Góes

O Vinho e a Outra Face – 2013

O vinho e a outra face é poema de Archipo Góes elaborado em versos livres, na qual, destaca os principais elementos do poema: o tema do amor, a complexidade do sentimento amoroso e a determinação do eu lírico.

Leia mais »
Rolar para cima
Coari

Direiros Autorais

O conteúdo do site Cultura Coariense é aberto e pode ser reproduzido, desde que o autor “ex: Archipo Góes” seja citado.