Search
Close this search box.

Coari: avião cortou a cabeça de dois homens – 1971

cortou

Jornal ‘A Notícia’ – 19 de setembro de 1971

Nesse texto vamos narrar o acidente acontecido no lago de Coari, em que um avião cortou a cabeça de dois homens no ano de 1971.

cortou
Hidroavião Catalina da Panair

Edvan Matos Cavalcante (Funcionário da Celetramazon, casado, pai de um filho de três meses) e Pedro Antônio da Cruz (casado, verdureiro, pai de seis filhos), ambos residentes nesta cidade, tiveram morte horrível, no dia 17 de setembro de 1971, às 11h30min, no porto de Coari, ao serem violentamente atingidos por uma hélice de um Catalina da Força Aérea Brasileira, no momento em que ambos se aproximavam do aparelho, numa canoa, conduzindo diversos passageiros que iam embarcar com destino a Manaus.

MORTE

Edvan, como colaborador, era encarregado de entregar ao comandante do avião a lista de passageiros, elaborada, também, espontaneamente, pela Srta. Margareth Mesquita, funcionária da Prefeitura de Coari e Pedro Antônio, por sua vez, ajudava no transporte, de canoa, de terra para o avião e vice-versa, dos passageiros. Essa missão seria cumprida regularmente, ontem, não fosse a fatalidade. Quando o Catalina amerissou, os dois puseram os passageiros na canoa e remaram ao encontro do aparelho, que ainda mantinha em funcionamento, sem muita velocidade, as suas duas hélices. Edvan e Pedro Antônio já faziam aquilo com muita perícia, de modo que não existiam obstáculos na abordagem, mesmo quando o banzeiro é forte e faz o avião mexer-se à flor d’água.

Quando a porta do Catalina se abriu, a canoa foi certamente empurrada por alguma onda para a frente. A hélice do lado direito, subitamente, atingiu em cheio de uma só vez, a cabeça de Edvan e Pedro Antônio, jogando ao rio.

Cortou

O golpe foi de cima para baixo, bem no meio do couro cabeludo, evitando, por certo, fossem ambos decapitados. A médica Edna Guerra, esposa do médico Guerra, diretor do hospital da SUSEMI, que também estavam dentro da canoa, escapou milagrosamente de morrer, pois se achava bem ao lado de Edvan. Quando este recebeu o golpe mortal e foi cuspido para dentro do rio, bateu na médica, tirando-a do perigo. Mesmo assim ela caiu, recuperando-se horas depois do tremendo choque. Edvan e Pedro Antônio toram retirados imediatamente do rio e levados para o hospital, onde chegaram mortos, pois tinham a cabeça aberta em duas bandas.

INQUÉRITO

Horas depois o comandante do aparelho, major Varela, compareceu à Delegacia de Polícia, prestando depoimento em inquérito instaurado. Toda a população de Coari saiu às ruas, depois do acidente. As duas vítimas eram pessoas queridas em todos os círculos, aos quais serviam sempre com abnegação e pontualidade. O Catalina da FAB, que procedia de Tefé, com outros passageiros, deverá seguir para Manaus ainda hoje, sábado.

N.R. — Até o encerramento de nosso expediente a Base Aérea de Manaus ainda não havia expedido nenhum comunicado oficial, mas acredita-se que os detalhes do acidente sejam pormenorizados nas próximas horas.

Leia mais em:
A história da promoção da saúde em Coari (1854 – 2004)
A Cólera em Coari – 1991
Gregório José Maria Bene e a Mudança da Freguesia de Alvellos – 1855
Catalina – hidroavião que faz parte da história da aviação brasileira
Coari coroou sua Miss Universo Coari 2023

avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortououavião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou

avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortououavião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou

avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortououavião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortou avião cortououavião cortou

Está gostando ? Então compartilha:

1 comentário em “Coari: avião cortou a cabeça de dois homens – 1971”

  1. Que acidente terrível! Quantas situações vividas em outras décadas que pouco se sabe. Não havia o trânsito complexo como o de hoje na cidade de Coari; as facções que disputam os espaços ao tráfico; não havia toda a violência de hoje, porém, acidentes como o narrado nesse texto causavam grande trauma na população e se tornavam os grandes fatos que abalavam a vida cotidiana.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Boto
Literatura
Archipo Góes

Entre águas e sonhos: uma tragédia anunciada – Botos

Entre Águas e Sonhos acompanha a jornada de um homem marcado por perdas em busca de redenção. Ele confronta seus demônios e os perigos da floresta, em meio à beleza e brutalidade da natureza. Encontros intrigantes e eventos misteriosos tecem um suspense envolvente, conduzindo a um desenrolar cheio de reviravoltas. Segredos da floresta, natureza humana e a busca por redenção se entrelaçam neste conto que te convida a desvendar o destino de um boto.

Leia mais »
A Escola
Crônicas
Archipo Góes

A Escola

Manuella Dantas narra nostalgicamente sua jornada na escola Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. Ela destaca a mudança de uniforme, a rotina diária, as atividades recreativas e a interação com professores e alunos. A escola, repleta de memórias felizes e fundamentais para sua formação acadêmica, é retratada como uma parte importante de sua vida.

Leia mais »
Praça São Sebastião
Literatura
Archipo Góes

A Praça São Sebastião

O texto descreve a Praça São Sebastião em Coari como um local impregnado de memórias e eventos significativos para a comunidade local. Desde arraiais a marchas cívicas, procissões, gincanas e festas de carnaval, a praça foi o cenário de diversas atividades que marcaram a cultura coariense. Além disso, a presença de edifícios importantes como a Catedral, escolas e órgãos públicos ressaltam a relevância histórica do local. As lembranças nostálgicas do autor sobre a praça e seus arredores durante a década de 1980, incluindo detalhes culinários e encontros sociais, destacam a importância afetiva e cultural desse espaço na vida da comunidade.

Leia mais »
Feira
Literatura
Archipo Góes

A Feira

Texto de memórias de Manuella Dantas sobre suas lembranças de infâncias acerca da feira do produtor rural de Coari.

Leia mais »
Deolindo Dantas
História
Archipo Góes

Deolindo Dantas – 1895

Narraremos a biografia de Deolindo Dantas, um importante líder político e comercial da cidade Coari. Foi o principal opositor político de Alexandre Montoril e um personagem lendário e polêmico na história de nossa cidade.

Leia mais »
Crônica
Literatura
Archipo Góes

Crônicas de Coari – Vol. 01

Nesta página, podemos ter acesso ao Flipbook Crônicas de Coari, que disserta sobre a cotidiano da cidade de Coari e sua história.

Leia mais »
Rolar para cima
Coari

Direiros Autorais

O conteúdo do site Cultura Coariense é aberto e pode ser reproduzido, desde que o autor “ex: Archipo Góes” seja citado.